Classificados como “Data Deficient” na International Union for Conservation of Nature (IUCN) os golfinhos de rio da América do Sul sofrem com a falta de ações direcionadas para a conservação das diferentes espécies.

Expedição Golfinhos de Rio ao Rio Tapajós. Foto: Adriano Gambarini
Expedição Golfinhos de Rio ao Rio Tapajós. Foto: Adriano Gambarini

Expedições para coleta e levantamento de dados vem sendo realizadas em rios de toda a Amazonia e Orinoquia desde o ano de 2006 até o presente, fornecendo dados que possibilitem acessar informações sobre distribuição, parâmetros populacionais e ameaças aos golfinhos de nas diferentes áreas, bacias hidrográficas e países.

Recentemente, uma parceria firmada entre a Fundación Omacha, Laboratório de Ecologia Comportamental e Bioacústica da Universidade Federal de Juiz de Fora e Marine Mammal Laboratory of NOOA, busca aperfeiçoar as técnicas de coleta e análise de dados para acessar de forma mais robusta parâmetros de abundância e densidade dos golfinhos de rio da América do Sul, bem como atualizar a área de distribuição das espécies.

Untitled-1Universidade Federal de Juiz de Fora, Minas Gerais, Brasil

Laboratório de Ecologia Comportamental e Bioacústica

Mariana Paschoalini Frias

 

Untitled-3